quinta-feira, 23 de junho de 2016

A última geração

No Éden Deus instituiu a primeira família e, portanto, a base estrutural de toda sociedade. Um homem deixará pai e mãe e se unirá a sua mulher e ambos serão uma só carne. Gn 2:24; Mc 10:7; Ef 5:31. A mulher precisa da família para criar seus filhos. Uma família disfuncional prejudica o futuro da sociedade. Podemos dizer que colapsando a família é o fim de uma sociedade, uma civilização. 

Muitos são os fatores que contribuíram para a ruína e o fim de sociedades, de impérios, mas em todos eles vemos algo em comum: o lento declínio da família. 

Nos dias de Noé aquela sociedade casava-se e "dava-se em casamento", esse termo parece sugerir um problema na estrutura básica da sociedade. Deus em sua grande longanimidade e misericórdia esperou a medida se encher, quem sabe na expectativa de arrependimento. Ele tinha avisado profeticamente que na morte de Matusalém (seu nome significa: sua morte trará) viria juízo. Matusalém foi o homem que viveu mais tempo nesta terra. Em Gn 6:5 indica que todo tipo de perversidade e maldade era cometida naquela sociedade. Não seria difícil nomina-las: roubo, assassinato, torturas, corrupção, todo tipo de injustiça, exploração, opressão, compra e venda de pessoas, pedofilia, homossexualismo, orgias sexuais, zoofilia, necrofilia, experimentos genéticos (sim, daí surgiram tantas lendas de seres meio humanos e meio animais). No verso 6 Deus se arrepende de haver feito o homem. Verso 7 ele quer destruir não só os homens mas, os animais e répteis e até as aves do céu. Ele executou juízo.

Em Gn 15:16 - Deus deixa claro que a injustiça (pecado contra a base da sociedade, a família) dos amorreus estava se elevando, contudo lentamente, e Deus não executa juízo antes  da hora, por isso avisa a Abrão que a semente dele seria afligida por 400 anos e a quarta geração tornaria para a terra dada a ele em promessa. Então, seria o fim dos amorreus como civilização. Deus tardou a promessa aos descendentes de Abrão, para ter misericórdia dos Amorreus, não houve arrependimento desses, a medida se encheu, o juízo foi executado.

Sodoma e Gomorra em Gn 18:20 diz que o pecado dessas cidades haviam se agravado muito. No relato em Gn 19:4 mostra o nível de corrupção moral, quando os varões da cidade desde o moço até o velho, todo povo de todos os bairros, queriam fazer sexo com os anjos que se hospedaram na casa de Ló. Mesmo assim, se houvesse 10 justos Deus teria misericórdia e não as destruiria. O incrível dessa história é que não haviam 10 justos e Deus as destruiu. O que dizer de grandes impérios como Babilônia, Persia, Grécia, Roma. Vamos tomar Roma como exemplo. No início Roma tinha a família como centro da sua estrutura social. Os "pais" formavam o senado de Roma e eram contra o divórcio. Contudo, a iniquidade aumentou e o adultério se espalhou ameaçando toda a estrutura familiar. Não só adultério e divorcio se tornaram comum como também o homossexualismo, mulheres casadas com mais de um marido e todo tipo de perversidade.

E a sociedade pós moderna? Bem, nosso foco é a família, então vejamos. A sociedade pós moderna destrói a verdade absoluta e afirma a verdade relativa, desconstrói portanto, os conceitos baseados numa verdade absoluta. Conceito de família antes baseado na união indissolúvel de um homem e uma mulher criando filhos, agora mudado, desconstruído, temos: dois homens e filhos, adotivos é claro, duas mulheres e filhos, um homem com filhos e uma mulher com filhos e seus próprios filhos, um homem e seu pet, uma mulher e seu pet, sem filhos, espero, um homem e duas ou mais mulheres, um grupo de homens e mulheres, um homem e uma criança, uma mãe e seu próprio filho, etc. Alguns desses já aprovados por lei, outros será uma questão de tempo, pois seria incoerente aprovar um e negar outro.

Como podemos ver a base da sociedade foi abalada e, mais do que isso, foi desconstruída e, podemos projetar um futuro caótico, uma sociedade hedonista onde cada um faz o que quer, onde todos buscam interesse e satisfação própria, onde não há regras a serem obedecidas, amantes de si mesmos, gananciosos, arrogantes, presunçosos, blasfemos, desrespeitosos aos pais, ingratos, ímpios, sem amor, incapazes de perdoar, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem, traidores, inconsequentes, orgulhosos, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, com aparência de piedade negado sua eficácia. 2 Tm 3:2

Bem, parece que já estamos vivendo essa sociedade. Com a globalização, as grandes potências da Europa, Estados Unidos e Canadá, determinam na ONU o que os outros países devem ou não aprovar como lei, a saber, casamento gay, pedofilia, zoofilia, etc e ainda, como se não bastasse, determinam o que deve ser ensinado nas escolas! Assim fica fácil ver que esta é a última geração, pois, do caos social virá apenas juízo. E o julgamento é este: que a luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Jo 3:19


Sandra Giani